16/07/2010

Introdução do glúten na alimentação e o surgimento da doença celíaca


A forma como o glúten é introduzido na alimentação do bebé e a associação da introdução do glúten à amamentação podem ter um papel importante no surgimento da doença celíaca.

Dois estudos incluídos num artigo de revisão italiano* apontam para a importância da idade do bebé no momento da introdução do glúten na sua alimentação. Se a primeira exposição ao glúten acontecer a partir dos 4 até aos 7 meses de idade, o risco de desenvolvimento de doença celíaca é provavelmente menor.

Uma epidemia de doença celíaca em crianças menores de 2 anos ocorreu na Suécia entre 1982 e 1995, com um número de novos casos aumentados quatro vezes, seguido de um regresso aos valores pré-1982. Este padrão epidémico foi, mais tarde, relacionado com a política alimentar que indicava que a introdução do glúten deveria fazer-se após o desmame do leite materno.
Essas directivas foram alteradas em 1996: a recomendação para a introdução alimentar do glúten passou dos 6 para os 4 meses. Como resultado, a incidência (novos casos) de doença celíaca na Suécia desceu significativamente.
Também se verificou, no mesmo período de 1982-1995, que os bebés foram expostos a maiores quantidades de glúten aquando da sua introdução.

O mesmo grupo de crianças nascidas durante a epidemia estudado aos 2 anos de idade foi seguido até aos 12 anos, e aqui verificou-se que o número de casos de doença celíaca aumentou e já correspondia a 3% das crianças suecas nesta faixa etária, o que sugere que o efeito da introdução tardia do glúten esteve presente para além dos 2 anos de idade.

A Sociedade Europeia de Gastroenterologia, Hepatologia e Nutrição Pediátricas (ESPGHAN) recomenda que se evite quer a exposição precoce (antes dos 4 meses) quer a tardia (depois dos 7), e que a introdução se faça gradualmente, em pequenas quantidades, e enquanto o bebé ainda está a ser amamentado. Pensa-se que isto permitirá que a resposta imunitária intestinal se mantenha bem regulada enquanto o aparelho gastro-intestinal vai amadurecendo, nestes primeiros meses de vida.

Contudo, existem ainda alguns pontos por compreender, pois alguns estudos apontam para que a introdução do glúten durante a amamentação proteja as crianças da doença sintomática, mas não da doença atípica (sintomas não-intestinais) e da doença silenciosa.


*Silano N, Agostoni C, Guandalini S, "Effect of the timing of gluten introduction on the development of celiac disease", World Journal of Gastroenterology, Abril de 2010.

1 comentário:

Susana disse...

O ideal seria não comermos Gluten nunca afinal so faz é mal comia-se sempre sem gluten:)sem sal sem açucar:)